Buscando inclusão, trabalhadores com deficiência conseguem empregos com carteira assinada em MS

A Fundação do Trabalho de Mato Grosso do Sul (Funtrab) tem realizado ações para promover a inclusão das Pessoas com Deficiência (PcD) no mercado formal de trabalho. De janeiro de 2018 a abril de 2019, a Funtrab encaminhou 1.505 trabalhadores com deficiência para entrevistas de emprego, sendo 299 com deficiência auditiva, 764 com deficiência física, 108 com deficiência mental ou intelectual, 225 com deficiência visual e 109 com deficiência múltipla.

Nesse mesmo período, foi registrado 232 trabalhadores com deficiência contratados com carteira assinada, sendo 62 com deficiência auditiva, 113 com deficiência física, 12 deficiência mental ou intelectual, 32 com deficiência visual e 13 com deficiência múltipla.

O setor da agropecuária se destaca na contratação de PcD, com 80 postos de trabalhos, seguido do setor com construção civil 75 trabalhadores com deficiência contratados. O setor de serviços foi responsável por 48 contratações e o comércio com duas.

A Funtrab busca realizar a intermediação de mão de obra para os trabalhadores no MS, e para atender as Pessoas com Deficiência possui o setor de “Serviço Social”, com duas assistentes sociais que buscam realizar a inclusão social ano todo. Também é realizado o “Dia D” de inclusão social e profissional, que reúne as empresas empregadoras e os trabalhadores com deficiência e reabilitados do INSS(Instituto Nacional de Seguro Social), para promover a inclusão das Pessoas com Deficiência (PcD) no mercado formal de trabalho.

Além de fortalecer as políticas de empregabilidade para as Pessoas com Deficiência, o ‘Dia D’ envolve um conjunto de eventos que ocorrem em diversas cidades de todo o país, proporcionando espaços para o encontro entre pessoas com deficiência e reabilitados do INSS, que têm interesse em ingressar no mercado de trabalho e as empresas que precisam cumprir as cotas de inclusão desse público.

A Lei Nº 8.213, de 24 de julho de 1991, determinou cotas para contratação de deficientes nas empresas que possuam mais de 100 funcionários. As regras são: até 200 funcionários ficam destinada 2% das vagas para PcD, de 201 a 500 funcionários 3%, de 501 a 1000 funcionários 4%, de 1001 em diante funcionários 5%.