Curso de Artesanato inicia hoje na Escola Louis Braille

Hoje, começou o Curso de Artesanato para familiares na Escola Louis Braille. Serão sempre às segundas das 16h05min às 17h30min para familiares e às sextas das 8h às 9h30min para alunos na sala de artes da escola. A ministrante é a professora Tatiana Dux Barbosa. São apenas cinco vagas. E hoje esteve completa. Inscrições e mais informações na sede da escola na Rua Andrade Neves 3084.

Inicialmente houve apresentação do curso às alunas feita pela coordenadora pedagógica, Andrea Robe. E ela disse ainda. “Com os trabalhos feitos pelos alunos será feito um brechó para vender o que vocês estão produzindo , que será bem legal e uma exposição depois da venda. Nós da coordenação e direção e a Tatiana pensamos. Quanto mais fizermos , produzir e vender mais se reverte em valores aqui para o curso. Assim, vamos adquirir mais coisas e vocês terão mais habilidades a serem trabalhadas também”, finaliza.

No curso estiveram presentes quatro alunas com deficiência visual. Conversamos com duas delas. Uma é a Edina Leoni que fala da expectativa quanto ao curso. “Olha, eu espero aprender bastante , tenho muita coisa a ensinar também. Estou muito feliz”. Além de crochês ,ela conta outras experiências artesanais e artísticas. ” Já fiz aula de cerâmica, fiz lembrancinha e depois que perdi a visão aos poucos estou retomando tudo que fazia antes sem dificuldade. A minha dificuldade era de colocar uma linha na agulha. Depois que soube que tem agulha para deficiente visual. Comprei agora , prego o botão ,costuro , faço fuxico , então tenho dificuldade. Tem várias técnicas para fazer o artesanato. Vamos aprendendo dia a dia e se torna muito bacana.

A dona Inês Maria da Conceição ,que é professora de artes aposentada , nos relata um pouco da sua experiência e sobre o curso de hoje. ” Eu como sou idosa, fazia aula no Cetres , lá fazia artesanato. Também tricô, caixinhas para presentes, bordado, e outras coisas assim manuais. Eu gosto bastante. Hoje recém que fiquei sabendo desse curso porque vim em outro curso e vou me inscrever. E aqui estou para aprender um pouco, ajudar a passar o tempo porque nós que somos deficientes visuais temos tanta dificuldade em ter muitas atividades. Eu mesmo sinto essa dificuldade. Essa é mais uma atividade na minha vida”.

No curso foram feitos colares de papel machê. Foram usados para fazê-los, um liquidificador , um rolo de papel toalha branco, cola tenaz de papel, farinha. vinagre e pinho que usa para limpeza em casa. Colocou-se o papel picado no liquidificador com água e foi batido. Ficou uma mistura de massa de papel com água. Foi usado um coador para coar o papel e colocado numa bacia. Depois disso tudo, da massa em formato de bola , as meninas tocaram e sentiram como ela estava.

Um pouco de como foi a aula de hoje em fotos:

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sentadas e área interna
A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sentadas e área interna
A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sentadas
A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas e área interna
A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas sorrindo
A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sentadas e área interna
Nenhuma descrição de foto disponível.

Tatiana Dux Barbosa:

Ela tem formação em artes visuais na Universidade Feevale em Novo Hamburgo. Trabalha em duas escolas municipais com a do Núcleo Habitacional Dunas e no distrito de Monte Bonito na Escola João da Silva Silveira. Essa experiência em trabalhar com pessoas com deficiência visual está tendo agora.