Educação inclusiva: Prefeitura elabora jogos para trabalhar a alimentação saudável

Seis jogos divertidos, lúdicos e coloridos serão responsáveis por trabalhar a educação alimentar com alunos da rede municipal de ensino, a partir de agosto. A ideia é qualificar as atividades que já são desenvolvidas pela Prefeitura nas escolas, priorizando a educação inclusiva e, assim, possibilitar que o conteúdo chegue a todos os estudantes. A confecção do material é fruto de parceria entre o Centro de Apoio, Pesquisa e Tecnologias para a Aprendizagem (Capta), ligado à Secretaria de Educação e Desporto, e nutricionistas do Município.

Jogos foram elaborados pelo Capta em parceria com nutricionistas da Prefeitura – Fotos: Lucas Pereira

“Os jogos foram idealizados a partir da perspectiva do desenho universal, ou seja, todos podem trabalhar juntos e ser beneficiados pelo aprendizado. As ferramentas são atrativas e lúdicas porque acreditamos que esta é a melhor forma de aprender”, explicou a coordenadora do projeto e supervisora do Capta, Ângela Soares.

Brincar para aprender

Conhecer os alimentos, entender seus processamentos e identificar as opções mais saudáveis e aquelas prejudiciais à saúde são alguns dos objetivos do setor de Nutrição da Prefeitura. A uniformização das práticas educativas nos educandários foi apontada como positiva pela nutricionista Beatriz Dias. “Foi uma parceria muito importante, que permite enriquecer o trabalho com todos os alunos”, disse.

Material em braille compõe as ferramentas lúdicas de aprendizagem – Foto: Lucas Pereira

Os materiais adaptados para alunos com deficiência consistem em brincadeiras que envolvem os cinco sentidos, como uma caixa tátil, onde os estudantes serão desafiados a descobrir quais alimentos estão ali contidos. Um semáforo, um bingo, uma réplica de um telefone e um percurso elaborado no chão representam as brincadeiras elaboradas pelo grupo do Capta para assinalar a importância de uma alimentação saudável e nutritiva.

Capta

Desde 2014, o Centro trabalha no âmbito da educação inclusiva, criando ferramentas que facilitem o aprendizado de todos os estudantes da rede de ensino do Município que, atualmente, conta com a atuação de 98 professores de Atendimento Educacional Especializado (AEE) e 48 salas de recursos multifuncionais. Os materiais criados no projeto ‘Construção de Jogos e Materiais Adaptados’ serão levados pelas nutricionistas da Prefeitura aos 89 educandários municipais de Pelotas.

Foto: Lucas Pereira

As seis brincadeiras lúdicas foram elaboradas por 12 integrantes do Capta – grupo formado por profissionais do Município e voluntários da iniciativa, como estudantes de Pedagogia, Teatro e Matemática, e docentes aposentadas.

Vale ressaltar que grande parte das professoras e professores que compõem o quadro de participantes do projeto fazem parte também do corpo docente da Escola Louis Braille tais como Mozer Sedrez, Andrea Robe, Adriana Blass. Zina Bonini, Sabrina Guidotti, Eliana Barcellos, Ângela Soares e outros.

Fonte:Site da Prefeitura de Pelotas