Trabalho de Orientação e Mobilidade no Centro de Reabilitação Louis Braille

Que a Associação Escola Louis Braille é referência no atendimento às pessoas com deficiência visual todos já sabem. Mas poucos sabem que ela tem vários setores que auxiliam nesse atendimento e inclusão. Entre eles a própria escola como seus setores de Centro de Atendimento Educacional Especializado, aulas variadas e orientação pedagógica e ainda o Centro de Reabilitação Visual onde há diversos atendimentos e especialidades tais como a Orientação e Mobilidade. Ela é feita pela professora Fernanda Bilhalva.

Ela nos conta um pouco desse trabalho desenvolvido. ” A OM vem para somar a vida do deficiente visual tanto cegueira como baixa visão e ele traz técnicas de orientação, de autoproteção e uso da bengala. Os alunos tem aprendido muito. São técnicas que eles já fazem no dia a dia, outras agregam como troca de experiência do professor com aluno. Ah e os alunos também tem vindo não com criança, mas como adultos, com alguma doença adquirida na velhice, também como alguma falha na questão da saúde. , mas ela vem a agregar e ajudar as pessoas que tem a cegueira , como também a sua família a saber lidar ,acompanhar e a estarem nesse dia a dia com o deficiente visual. e acredito ser muito importante. Já faço um pedido para vir aqui quem quiser conhecer, fazer uma aula experimental ou quem sabe levar isso pra escola, pra dentro de casa , para seu ambiente e muito importante a conscientização de todos para ajudar não só aqui na escola , mas em todos os lugares que podem encontrar pessoas com deficiência visual”.

Questionamos a ela quais alunos poderiam ser destacados que ela observa que tem evoluído durante esse trabalho que é desenvolvido na escola onde ao completarem o ensino, a capacitação aqui no CRV e que tiveram resultados mais presentes ” Eu acredito que os adolescentes daqui eles tem demonstrado uma importância muito grande no desenvolvimento porque eles saem e fazem o ensino fundamental, vão pra o ensino médio. Nós temos alunos que estão na faculdade , cursando, cursos superiores, técnicos. Também penso que a OM vem pra somar porque também a desenvolvem em outros ambientes. As pessoas adultas elas vem pra a sua rotina diária, mas os adolescente que vem tem sido muito positivo pra gente porque eles estão crescendo, evoluindo pessoalmente”,

Vale lembrar que o atendimento do Centro de Reabilitação assim como de toda escola é feito não só para Pelotas,mas para toda região onde abrange 27 municípios. A professora Fernanda ressalta ainda. “Além disso, são atendidas na instituição pessoas de outras regiões do Rio Grande do Sul. Elas vem de longe, saem de casa cedo, por volta 6h ou 7h para o atendimento. A escola é referência nesse atendimento, bastante reconhecida não apenas em Pelotas, mas fora daqui também”.

O setor de Orientação e Mobilidade funciona oito horas por dia, todos os dias da semana. Podem procurar a Louis Braille e o Centro de Reabilitação para mais informações como se faz para ter as aulas. Elas são gratuitas, um recurso que é a bengala também é de graça, Basta ligar para o Centro de Reabilitação 53 3222-2151 ou se dirigir até a Rua Padre Felício em frente ao Hospital Miguel Piltcher anexo à escola. Mais informações também pelo email aelbraille@gmail.com ou através do Facebook da escola : Associação Escola Louis Braille.

Fotos do serviço de Orientação e Mobilidade sendo feitos pelos professores Fernanda Bilhalva e Huibner Machado