Jogos paradesportivos estudantis ocorrem no Cete

Nem a forte chuva desanimou os atletas que vieram de 27 municípios gaúchos, na manhã desta sexta-feira (4/10), para o 8º Campeonato Paradesportivo Estudantil do Rio Grande do Sul (Paracergs), com a presença de cerca de 120 atletas do paradesporto.

Secretário do Esporte e Lazer, João Derly fez a abertura dos jogos, do qual participam 66 escolas, no ginásio do Centro Estadual de Treinamento Esportivo (Cete), no bairro Menino Deus, em Porto Alegre. No local serão realizadas as provas, exceto a de natação, que ocorre na sede Moinhos de Vento do Grêmio Náutico União.

Derly ressaltou que este é um momento de celebração à vida. “Momento em que refletimos e percebemos que há muita gente campeão e campeã da vida que estão aqui, enfrentando as dificuldades do dia a dia, à frente de algo tão importante que é o esporte e o paradesporto, que envolve familiares, amigos, treinadores e professores, pessoas que geram uma nova expectativa de vida”, acrescentou.

Houve participação dos alunos da nossa Escola Louis Braille também.

04 10 2019 CAMPEONATO PARADESPORTIVO 15
Cerca de 120 paratletas participaram da abertura, realizada na manhã desta sexta (4/10), no Cete, em Porto Alegre – Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini

Promovido pela Secretaria do Esporte e Lazer (Sel), com recursos de repasses das loterias federais através da Lei Pelé, o campeonato é uma seletiva para as Paralimpíadas Escolares 2019, evento nacional realizado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro, de 18 e 23 de novembro, em São Paulo. Os jogos também têm a finalidade de estimular a participação de estudantes com deficiência física, visual e/ou intelectual.

Paracergs 2019

Participam alunos de instituições de ensino públicas e privadas, com idade de 12 a 18 anos, nas modalidades bocha, tênis de mesa, atletismo, goalball, judô, natação, futebol PC, basquete em cadeiras de rodas 3×3, parabadminton, futebol de 5 e vôlei sentado, em times feminino e masculino. O evento contará com 240 participantes entre atletas, dirigentes, técnicos, staffs e autoridades.

Na cerimônia de abertura, Derly fez a entrega de medalhas de ouro à judoca Lauren Lannes e a Felipe Borges, do parabadminton, que se credenciaram ao campeonato nacional, em novembro.

Atletas vivem a expectativa
do campeonato nacional

Presente na cerimônia de abertura, Larissa Rodrigues, 14 anos, da natação, diz estar bem animada com a competição, da qual participa pela terceira vez. “Pretendo baixar meu tempo para ir com tudo para as Paralimpíadas Escolares. É muito importante a participação nos jogos, porque a partir daqui que a gente tem inclusão, a partir da competição que nos vemos como atleta”, afirma a paratleta que treina no Grêmio Náutico União. Larissa comenta a importância da competição desta sexta-feira. “É o pontapé inicial dos nossos maiores objetivos. A sensação de participar de um campeonato é de ultrapassar um obstáculo. O objetivo maior está na Paralimpíadas Escolares, ser destaque e trazer o ouro para o Rio Grande do Sul”, enfatiza.

Aos nove anos, Derick Santos de Moura sofreu um acidente de carro em que teve a perna amputada e o deixou dependente de cadeira de rodas. “Ainda no hospital, ouvi o conselho do médico que seria recomendável praticar natação”, recorda. E foi o que fez. Contando com o apoio de familiares e da mãe para se deslocar, aos 12 anos iniciou na natação para valer no Clube dos Casados, em Viamão, município onde reside. Nunca mais deixou as piscinas.

Paracergs abertura Cete
Participam do Paracergs alunos com idade de 12 a 18 anos de instituições de ensino públicas e privadas – Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini

Treinando atualmente em Porto Alegre, na Associação Esporte+, o paratleta está com 15 anos e já ganhou medalhas de ouro e bronze, na modalidade crawl costas, nas Paralimpíadas Escolares, em São Paulo, em 2016, e outros dois ouros na mesma competição, edição 2018, no crawl, costas e borboleta. “Nesta seletiva, é grande a chance de medalha. Vou competir nos 400, 200 e 100 metros em provas de nado livre e 50 metros, nado costa. Minha expectativa é ficar entre os selecionados à competição nacional”, diz.

Com paralisia cerebral, Ricardo Laranjeira buscou no esporte uma forma de se expressar, de entretenimento e socializar. Há dois anos, pulou do atletismo para o futebol de 7. Já participou de campeonatos nacionais de paratletismo em que ganhou medalha de bronze. Nesta seletiva, a concorrência está acirrada. “Encontrei no futebol de 7 a minha paixão. É a modalidade com mais inscritos na seletiva do Paracergs, mas eu treinei muito”, afirma o atleta paralímpico. 

Fonte: Secretaria do Esporte e Lazer do RS