Após ficar cego em acidente de trabalho, homem faz bengalas para ajudar deficientes visuais

Um artesão cego de Londrina, no norte do Paraná, trabalha fazendo bengalas para deficientes visuais que precisam de ajuda. Osmar Emilio Deriti começou a perder a visão há 19 anos, após um acidente de trabalho.

O artesão trabalhava em uma obra de construção e machucou um dos olhos com uma lasca de azulejo. Cirurgias foram feitas, mas o trabalhador não conseguiu recuperar o olho.

Há quatro anos, o outro olho também começou a apresentar problemas, deixando Osmar cego. Após perder a visão, ele começou a frequentar um instituto da cidade e resolveu fazer as bengalas.

“Como minha mão de obra era braçal, comecei a me interessar e criei bengalas para fornecer a pessoas que são muito necessitadas”, disse.

Osmar começou a fazer bengalas novas para ajudar deficientes visuais — Foto: Leopoldo Karam/RPC Londrina

Osmar começou a fazer bengalas novas para ajudar deficientes visuais — Foto: Leopoldo Karam/RPC Londrina

Com experiência no ramo da construção, Osmar conta que conhecia locais onde poderia conseguir ferramentes e materiais para criar as bengalas.

Primeiro, ele começou a consertar bengalas velhas. Atualmente, ele consegue fazer peças novas, manuseando as ferramentas sozinho.

Osmar conta que já entregou as bengalas para pessoas de outras cidades. O trabalho, para ele, traz sentimento de dever cumprido.

“Não é porque estou sem visão que não sou uma pessoa normal. Tem que seguir para frente, não pode ficar parado, não”, contou.

Artesão opera ferramentas sozinho, mesmo cego — Foto: Leopoldo Karam/RPC Londrina

Artesão opera ferramentas sozinho, mesmo cego — Foto: Leopoldo Karam/RPC Londrina

Fonte: G1 e RPC Paraná