Senado entrega obras em braile na Feira de Porto Alegre

O Senado realizou nesta sexta-feira (8), durante a 65ª. Feira do Livro de Porto Alegre, a doação de livros produzidos em braile para entidades que atendem deficientes visuais. As publicações são feitas na Gráfica do Senado, única instituição pública do país que produz nesse tipo de linguagem, acessível a pessoas cegas.

— Educação e inclusão são também função do Senado, que representa todo cidadão brasileiro, independentemente de deficiência. É sempre bom participar dessas ações, porque ouvindo as entidades, a gente percebe que a inclusão ainda não é a regra. A regra é deixar as pessoas de fora dos espaços da sociedade, e isso é tudo o que o Senado não quer — disse a diretora do Senado, Ilana Trombka.

Feira do Livro

Receberam as publicações a Biblioteca Pública do Rio Grande do Sul, o Instituto Santa Luzia, que atende alunos de 2 a 17 anos, e a União dos Cegos do estado. Representante da entidade, Léo Monteiro, professor de história e cego desde que nasceu, entende que as publicações em braile vêm em ótima hora, especialmente no momento em que se privilegiam as obras em áudio. Ele acha que o braile permite uma experiência mais completa de leitura e aprendizado.

— É um material de muito boa qualidade, que pode durar muito tempo. Ficamos muito felizes, especialmente porque o Senado agora também está produzindo obras literárias, não apenas de legislação — afirmou.

As obras em braile entregues à Biblioteca Pública do Rio Grande do Sul serão distribuídas a uma rede de 504 bibliotecas em todo o estado, conforme informou a  diretora da Biblioteca, Morgana Marcon.

— Poucas bibliotecas no país têm setor em braile. As publicações são importantes porque pouco se edita em braile hoje, e há um público para ser atendido — disse.

Fonte: Agência Senado