Representantes da SMED no Dia Do Deficiente Visual estiveram na Louis Braille

Na última sexta-feria dia 13 de dezembro os representantes da SMED, Maristela, Simone e Alessandro no Dia Do Deficiente Visual estiveram na Escola Louis Braille. A visita foi conduzida por uma das coordenadoras pedagógicas , Angela Soares, a diretora Ana Berenice Reis e também a dona Maria Helena Rodrigues da presidência da Associação Escola Louis Braille.

Durante todo dia ocorreram na Escola Louis Braille atividades artísticas, musicais e lúdicas pelo Dia Nacional do Cego e Municipal do Deficiente Visual e a padroeira Santa Luzia. Além disso, estão sendo promovidas oficinas e cursos de braille, orientação e mobilidade, de jogo da memória tátil e outros tantos.

Toda equipe diretiva e de professores estiveram reunidos hoje pela manhã no pátio da escola para participarem das atividades artísticas. Nas musicais houve apresentação das turmas da escola, dos grupos Amigos Pra Sempre e o Coral Louis Braille. Além disso, teve a apresentação da mulher LGBT, e deficiente visual , Marion que deu show de talento cantando e se apresentando no evento.

A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé

Histórico do Dia Nacional do Cego

O Dia Nacional do Cego é comemorado no país desde 1961. Criada por decreto pelo então presidente da República, Jânio Quadros, a data tem como objetivo incentivar a solidariedade. Para garantir o direito à educação dessas pessoas — 3,6% da população brasileira, segundo dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PSA) —, o Ministério da Educação trabalha em uma série de programas e ações.

Para a diretora de políticas de educação especial da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi) do MEC, Patrícia Neves Raposo, a data é importante para chamar a atenção da sociedade sobre os direitos humanos. “É um dia para mobilizar a sociedade para questões importantes como preconceito, discriminação e do desconhecimento que existe em relação a pessoas com deficiência visual” disse. “As pessoas com deficiência se escolarizam, produzem, são cidadãs capazes e ativas na sociedade.”

Patrícia chama a atenção para os maiores desafios enfrentados pelos deficientes visuais: acessibilidade, formação e comunicação. Nesse sentido, as ações do MEC visam a reverter tais situações. Com o Programa Escola Acessível, a proposta é tornar as escolas preparadas para receber todos os alunos. Para isso, o programa promove a acessibilidade ao ambiente escolar por meio de salas com recursos multifuncionais e adequação do espaço físico para atender estudantes com deficiência. Mais de 48 mil escolas foram beneficiadas com recursos do programa.

Outra iniciativa é a instalação de salas de recursos multifuncionais em as escolas de educação básica. São oferecidos equipamentos, mobiliários, materiais pedagógicos, recursos de acessibilidade e estratégias que eliminem as barreiras para a plena participação dessas pessoas na sociedade.

A política do MEC inclui, para as escolas contempladas com as salas de recursos multifuncionais, a oferta de cursos de formação continuada para professores que atuam no atendimento especializado. Prevê ainda apoio financeiro para a garantia da acessibilidade arquitetônica a prédios escolares e aquisição de tecnologias.  

Dia Municipal do Deficiente Visual em Pelotas

Sancionada pela prefeita Paula Mascarenhas no dia 30 de novembro de 2018 a lei nº 6.647, de autoria do vereador Fabrício Tavares (líder do governo na Câmara – PSD), que instituiu a data de 13 de dezembro como o Dia Municipal do Deficiente Visual .

Foto: arquivo ASCOM

 O projeto que deu origem à nova diretriz foi construído com o apoio da Escola, após visita do vereador à instituição. Conforme prevê a lei, na data serão promovidas palestras e atividades voltadas à população, a fim de estimular a reflexão quanto à inclusão das diferenças.