Senado cria primeira versão acessível da Constituição na internet

A Secretaria de Transparência do Senado (STrans) publicou no site do Senado na internet a Constituição Transparente, primeira versão da Carta Magna com ferramentas avançadas de acessibilidade. A partir de agora, pessoas com diferentes graus de deficiência visual, auditiva e também dislexia poderão ter acesso ao texto constitucional de forma fácil, acessível e intuitiva.

— Esta é a primeira versão amplamente acessível da Constituição que existe na internet. Nossa intenção é que o usuário tenha a experiência mais satisfatória possível dentro do portal — informou Guilherme Brandão, chefe do Serviço de Gerenciamento de Sistemas (Segs).

Segundo Guilherme, o texto constitucional adaptado está com leiaute mais claro e possui recursos como contraste de imagem na tela, opções de aumento ou redução da fonte, tipos de fonte com e sem serifa e fonte especializada para disléxicos, que diferencia letras maiúsculas de minúsculas, além de conteúdo disponível em Libras e em áudio.

— Depois de estudar, percebemos que alterações mínimas de cor, contraste, tamanho e o estilo da fonte faziam toda a diferença para pessoas com algum grau de deficiência visual  — afirmou Brandão.

Para o servidor, a Constituição é o principal produto que o Congresso Nacional oferece aos cidadãos e, sendo a legislação mais importante do Brasil, precisava estar acessível. Segundo ele, essa foi uma das motivações que levaram a STrans a trabalhar no projeto piloto que deu origem à Constituição Transparente.

O gestor ressalta ainda que a STrans trabalha em outras frentes, como na atualização de conteúdo do Portal da Transparência e nos diversos sistemas internos utilizados na Casa. A intenção para os próximos anos é que os recursos de acessibilidade estejam disponíveis para as demais legislações no Senado.

Sugestões

Constituição Transparente também está disponível no hotsite do concurso do Senado na internet e conta com uma caixa de sugestões para que os usuários contribuam com as melhorias do portal. De acordo com Guilherme, até agora, mais de 90% dos usuários avaliaram positivamente o documento e reforçaram a necessidade de ampliar os recursos para outros produtos.

Fonte: Agência Senado