Famílias temem que isolamento afete crianças com necessidades especiais

A família da babá Débora Medeiros Nery está acostumada a se reinventar para ajudar o filho mais novo, Pedro Henrique. O menino de quatro anos tem paralisia cerebral e uma série de alterações cognitivas e motoras ligadas à doença. Desde o nascimento, os cuidados na casa onde vivem quatro pessoas em Carapicuíba, na Grande São Paulo, aumentaram. Ao longo do tempo foram encontrando formas de tratar as dificuldades da criança, como os problemas para andar, respirar e falar, com terapias e tratamentos.

Micaela tem Síndrome de Down e cardiopatia corrigida; ela está em isolamento com os avós no litoral - Arquivo pessoal

Com a pandemia de coronavírus a família teme uma involução sem a assistência que vinha recebendo. A Rainha da Paz, entidade sem fins lucrativos que atende 400 crianças, jovens e adultos com deficiência, fechou para não expor seus assistidos e funcionários a risco. Toda semana um carro da ONG buscava Pedro Henrique em casa e o levava para a cidade vizinha de Santana de Parnaíba, onde fica a sede. Lá ele fazia gratuitamente terapia ocupacional, aulas de música, passava com fonoaudiólogo, nutricionista e clínico geral.

Fonte: Viva Bem UOL