‘Salvador Pra Cego Ver’: conheça o projeto que apresenta a capital baiana na internet com recursos de acessibilidade e inclusão social

Há dez anos, uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística indicou que a capital baiana tem mais de 90 mil pessoas com deficiência visual. Pensando nesse público, foi criado o projeto Salvador Pra Cego Ver, que consiste em reapresentar a cultura, os pontos turísticos e o patrimônio da cidade, que completa 472 anos nesta segunda (29), a partir da audiodescrição de imagens.

O objetivo de criar um canal de diálogo com pessoas cegas e de baixa visão para promover um turismo mais acessível e inclusivo. Festas populares, religiosas e informações sobre a gastronomia local também fazem parte da ação. As fotos e vídeos são divulgadas em redes sociais (Instagram e Facebook), na plataforma de vídeos Youtube e através de um site.

Os recursos audiovisuais também são traduzidos em libras. Além das imagens audiodescritas, que permitem transmitir imagens em palavras, o projeto conta com convidados especialistas que debatem a temática.

O “Salvador Pra Cego Ver” foi criado no começo desse ano, pela educadora Patrícia Silva de Jesus e pela produtora cultural Edmilia Barros. Conhecida como Patrícia Braille, a especialista em educação inclusiva é idealizadora do projeto #PraCegoVer, focado na disseminação da cultura da acessibilidade nas redes sociais, com princípio na audiodescrição de imagens para apreciação das pessoas com deficiência visual.

“O que eu e Edmilia fizemos foi trazer um recorte desse projeto para Salvador. Incluímos também o intérprete de Libras, para abrangermos as pessoas com deficiência auditiva”, conta.

De acordo com Patrícia Braille, o projeto impacta diretamente moradores e turistas com deficiência visual, mas também chama a atenção de toda a sociedade para pensar a cidade de maneira mais inclusiva.

Imagem do Elevador Lacerda, em Salvador, usada no projeto Salvador Pra Cego Ver  — Foto: Marcos Barbosa

Imagem do Elevador Lacerda, em Salvador, usada no projeto Salvador Pra Cego Ver — Foto: Marcos Barbosa

“Salvador é uma cidade linda, mas que mantém pessoas com deficiência, de modo geral, em um relativo isolamento social muito antes da pandemia, já que não oferece caminhos acessíveis para que a cidade possa ser apreciada. Nossa intenção é que as pessoas despertem para as belezas da cidade e se interessem por interagir melhor com esses espaços”.

O projeto é contemplado pelo Prêmio Anselmo Serrat de Linguagens Artísticas, da Fundação Gregório de Mattos, Prefeitura Municipal de Salvador, por meio da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc.

Para compor o acervo de imagens, o projeto conta com a colaboração de mais de 10 fotógrafos baianos, que também são descritos nos áudios.

Fonte; G1 Bahia