Tenho deficiência visual e fui campeã de fisiculturismo aos 50 anos

Minha história com a deficiência visual começou quando tinha 27 anos. Naquela época, havia acabado de passar em um concurso para atuar como professora na educação infantil. Trabalhei durante um mês, mas logo em seguida descobri uma anomalia em um dos olhos. Por se tratar de uma condição rara, sobre a qual os médicos tinham pouco conhecimento, não recebi um diagnóstico preciso logo de cara. Pelo contrário, eles acreditaram que poderia se tratar de uma complicação causada por cisticercose, uma doença ocasionada por vermes e que pode acometer a visão.

Por ser considerado grave, tive que me submeter a uma cirurgia de correção. Somente na hora do procedimento os profissionais perceberam que esta não era a verdadeira causa do meu problema. ‘Tenho deficiência múltipla e estudo como ajudar mulheres como eu’ Anticapacitismo: pessoas com deficiência recriam capas de revista icônicas “Não combina com a sua idade”: por que cabelo longo depois dos 50 incomoda? Após a cirurgia, tive inúmeras complicações, entre elas descolamentos de retina. Com isso, perdi o funcionamento deste olho e precisei passar por outras operações, na tentativa de corrigir o que havia ocasionado a perda da minha visão, mas não tive sucesso. Afastada do trabalho, levei mais de dois anos para me adaptar com a visão monocular.

Laura decidiu se dedicar ao fisiculturismo após receber a notícia de que perderia a visão - Acervo pessoal

Laura decidiu se dedicar ao fisiculturismo após receber a notícia de que perderia a visão Imagem: Acervo pessoal

Laura Boppre em depoimento a Ana Bardella De Universa-UOL